Infoecosys

Ecosys no.8: As Estratégias de Biden

Jornal Info no. 11

                                                                                                           Prof. Dr. Ricardo Rabelo

A Frente Sandinista de Libertação Nacional e a Insurreição

A revolução cubana de 1959 inspirou as ações da FSLN, e Cuba contribuiu muito com as atividades revolucionárias na Nicarágua desde o início os cubanos ofereceram apoio logístico e militar aos sandinistas. No inicio, a partir de 1963,  a  FSLN desenvolveu várias tentativas de ofensiva sobre o poder da ditadura, mas não foi bem sucedida, tendo várias perdas de combatentes. Após esses fracassos a FSLN paralisou suas atividades de guerrilha até 1965, concentrando-se no trabalho político junto às massas urbanas e rurais objetivando recrutar novos combatentes.

O retorno da guerrilha da FSLN foi em 1967 em Pacasán, situada 50 quilômetros do oriente da cidade de Matagalpa, na selva da região centro norte, sendo os  guerrilheiros derrotados pela Guarda Nacional, mas as operações   envolveram também de assaltos a bancos que conseguiram  arrecadar dinheiro para o movimento revolucionário, execução de líderes da Guarda Nacional e vários atos violentos em diversas cidades .

No início dos anos 70 houve um crescimento da organização dos sandinistas inclusive com a participação  cada vez maior de mulheres guerrilheiras, chegando a  30% do exército sandinista. 

. O período de 1972 a 1979 foi decisivo para a FSLN derrubar o governo ditatorial de Somoza. Em dezembro de 1972, aconteceu um forte terremoto em Manágua, destruindo quase toda a cidade e resultando em mais de 10 mil mortos. As doações internacionais encaminhadas à Nicarágua   foram apropriadas pessoalmente pelo ditador Anastasio Somoza Debayle. Isso gerou grande descontentamento da população sendo  que  a crise econômica aumentou no país, acarretando alto índice de desemprego e elevada inflação.

A FSLN organizou greves e recrutou diversos trabalhadores para o seu exército de guerrilheiros . Em 27 de dezembro de 1974 a FSLN invadiu a casa do Ministro da agricultura José Maria “Chema” Castillo e fez de refém várias pessoas ligadas ao ditador Anastasio Somoza Debayle . As exigências dos guerrilheiros da FSLN para libertar Castillo e seus convidados foram:

1) Libertar os presos políticos, inclusive Daniel Ortega que estava preso desde 1967;

2)  Pagamento de 1 milhão de dólares;

3) Voo de avião seguro para os guerrilheiros e para os ex-presos políticos direcionado para Cuba;

4)Divulgação por rádio e televisão dos dois manifestos sandinistas que foram  batizados de “Rompendo o Silêncio”.

A ditadura Somoza reagiu decretando Estado de Sítio que desencadeou violenta repressão aos movimentos populares e forte censura aos meios de comunicação da imprensa.

Em 1975 aconteceu uma divisão da FSLN em três tendências:

1)Guerra Popular Prolongada, liderada inicialmente por Carlos Alberto Fonseca Amador, substituído após seu falecimento em combate (8 de novembro de 1976), por Tomás Borge.

2) Tendência Proletária, que rejeitava a guerrilha na selva das montanhas e nas cidades e propunha a organização política dos trabalhadores do campo e dos centros urbanos de maneira legalizada para atuar coordenadamente durante a insurreição sandinista, tendo como líder Jaime Wheelock

3) Tendência Insurrencional ou Terceirista que defendia ações militares no campo e na cidade, , tendo como líderes os irmãos Humberto Ortega e Daniel Ortega

Video sobre  Daniel Ortega   https://www.youtube.com/watch?v=sggt45-1d6g.

 Durante o ano de 1977 aconteceram diversas vitórias da FSLN no campo e na cidade.Os guerrilheiros ocupam um quartel da Guarda Nacional situado perto de Costa Rica, e também em dois povoados Monzonte e San Fernando, conseguindo a rendição de um outro quartel. Em outubro de 1977 a FSLN atacou o quartel do departamento de Masaya situado a vinte quilômetros de Manágua para mostrar sua força perante o governo ditatorial,  sendo a operação denominada “Outubro Vitorioso “. Nesse momento se forma o Grupo dos Doze, composto por intelectuais, liberais democratas e religiosos que apoiavam a Frente Sandinista de Libertação Nacional.

Video:  https://www.youtube.com/watch?v=Zf4DWZaMjJ8. Reportagem sobre Outubro Vitorioso

Outro acontecimento importante foi a fundação da Rádio Sandino em 22 de novembro de 1977. Essa rádio clandestina transmitia as ações da FSLN e também começou a divulgar as músicas da revolução que foram elaboradas entre 1970 a 1979 pelos irmãos Carlos Mejía Godoy e Luis Mejía Godoy, entre as quais o Hino da FSLN

Video  https://www.youtube.com/watch?v=0y8oVeZiKIA).   Hino da FSLN

Em 10 de janeiro de 1978 aconteceu o assassinato de Pedro Joaquím Chamorro que era um jornalista  da burguesia liberal nicaraguense e atuava em oposição a ditadura Somoza como diretor do jornal La Prensa . Através do jornal , Chamorro fazia forte oposição à  ditadura Somoza. Criou e liderou a UDEL (Unión Democrática de Liberación),  A ditadura resolveu silenciá-lo, e ele foi assassinado pela Guarda Nacional. Isso gerou uma onda de uma comoção nacional, já que Chamorro era muito popular na classe média e na burguesia contrária à ditadura.

Ocorrem então violentas manifestações de repúdio ao assassinato em todo o país, inclusive com a população ateando fogo na residência de pessoas vinculadas ao governo. Os empresários organizam uma greve que paralisa 80% do país. Somoza tenta organizar uma concentração em seu favor, mas a população toma as ruas para impedir que isso ocorresse. Num bairro da cidade de Masaya denominado Monimbó, a população predominantemente indígena inicia uma série de manifestações contra a ditadura e a Guarda Nacional aparece para combatê-los. Seguem-se dias de batalha entre o povo e os militares. Durante esse período, disse certo morador: “Que vengan los compañeros del Frente Sandinista a combatir junto a nosotros. […] Si alguien puede, comuníquenle a los muchachos que lo estamos necesitando y que los esperamos.”

Foram dez dias de resistência nos quais o bairro Monimbó foi declarado “território libre de Nicarágua”, mas o desfecho dessa batalha foi uma grande matança da população. Através de uma operação que contou com tanques de guerra e aviões contra uma população praticamente desarmada, a Guarda Nacional conseguiu vencer o movimento.  Porém, o massacre de Monimbó obteve repercussão internacional e o bairro tornou-se símbolo da luta do povo nicaragüense contra a ditadura dos Somoza.

Seguem-se vários levantes contrários ao regime, numa etapa que a FSLN chama de pré-insurreicional. Quando a revista Alternativa, dirigida por Gabriel García Marquéz, perguntou aos sandinistas se teria havido muita espontaneidade nas insurreições populares de janeiro e fevereiro de 1978, eles respondem: “No es cierto que haya sido espontáneo. Es la acumulación de la ofensiva guerrillera y muchos fatores de frustración. El pueblo há despertado. Ahora nos sobran casas, escondites, gente, dinero, trabajo. No alcanzamos inclusive a incorporar a todos los que piden, pero se há intensificado el recrutamiento com las debidas precauciones para evitar la infiltración, y somos ya centenas en armas. Estamos preparando al pueblo en el manejo de las armas y contribuyendo a su organización revolucionária. “

 Em julho de 1978 é formada a Frente Ampla Opositora (FAO) composta por algumas organizações da UDEL, pessoas ligadas ao Grupo dos Doze e sandinistas. Na revista Lucha Sandinista o movimento explica que a FAO se trata de uma aliança entre as forças políticas interessadas em derrubar o governo de Somoza e que coincidam com o Programa Mínimo Sandinista. Em setembro a Frente ocupa León e Éstelí, mas a reação do governo é forte e os guerrilheiros se retiram.

Em 22 de agosto de 1978 a FSLN através da Tendência Insurrecional ou Terceirista, invadiu e ocupou o Palácio Nacional, sede da Assembleia Nacional  em Manágua. Com 25 combatentes, comandados por Edén Pastora (o comandante zero), Hugo Torres (o comandante um) e Dora María Téllez (o comandante dois).

De acordo com Gabriel García Marquez , o ataque teria sido planejado há alguns anos, mas foi possível somente naquele agosto quando, apesar de toda a crise política, Somoza declara que pretende cumprir seu mandato até 1981. O presidente norte-americano Jimmy Carter o felicita pelas intenções de melhorar os Direitos Humanos na Nicarágua.

Na Operação Chanchera (chancho em espanhol significa porco), como foi denominada  os sandinistas tomaram o Palácio altamente vigiado pela Guarda Nacional, disfarçados justamente de militares. Havia 67 parlamentares no Congresso que foram tidos como reféns, dois eram parentes de Somoza. Os guerrilheiros fizeram aproximadamente  1500 funcionários reféns  e por intermédio de três sacerdotes realizaram suas exigências ao governo da Nicarágua.

As reivindicações foram as seguintes :

1) Anistia de todos os prisioneiros políticos;

2) Lista de prisioneiros que deveriam ser enviados por avião para a Venezuela, para o Panamá e para o México;

 3) Publicar em todos os meios de comunicação da Nicarágua e da América Central manifesto sobre essa operação;

 4) Ausência absoluta da Guarda Nacional em uma distância de 300 metros;

 5) Aceitar as petições da FETSALUD para o Grêmio Hospitalar;

 6) O governo Somoza e a família desse ditador deveriam enviar 10 milhões de dólares para alguns países mencionados Venezuela, Panamá, México, Cuba, Costa Rica e Nicarágua;

7) Garantia de voo direto para o Panamá para todos guerrilheiros.

 Após 3 horas de negociação o governo atendeu as exigências dos sandinistas e eles foram de avião para o Panamá . O documento dos guerrilheiros foi lido em todas emissoras de televisão da Nicarágua por 2 horas e 30 minutos. Os 10 milhões de dólares foram reduzidos para 500 mil dólares. O nome informal dessa operação, denominada de “Operação Chanchera”, se refere ao Palácio Nacional como uma casa de porcos.

Video sobre a Invasão do Palácio Nacional https://www.youtube.com/watch?v=Ht4yzvvx0Qk

É  a Tendência Insurrecional que promove as ofensivas de outubro de 1977, quando tenta tomar vários quartéis pelo país, assim como o assalto ao Palácio Nacional em agosto de 1978. Muitas dessas ações ocorrem sem a concordância das outras duas tendências, que as reprovam por incitar maior repressão por parte do governo. No entanto, o aprofundamento da crise política e econômica no país, bem como o aumento da insatisfação popular, levam os três núcleos a enfatizar a necessidade de reunificação do grupo. O líder da revolução cubana Fidel Castro teve importante papel ao sugerir ao comando da FSLN esta unificação.

 Em junho de 1978 as três tendências assinam acordos com o propósito de unificar a Frente que, segundo Daniel Ortega, se constituem em três pontos fundamentais: impulsionar em todos os organismos e militâncias uma política de unidade que vise acabar com o sectarismo, abandonando assim os ataques pessoais; formular conjuntamente as tarefas revolucionárias destinadas a provocar uma insurreição geral armada para derrubar a ditadura, e reunir as forças políticas e militares para conseguir neutralizar as manobras do regime, da burguesia e do imperialismo que, associados, buscavam uma saída reacionária para a crise. Além disso, as tendências propunham angariar o apoio de outras forças esquerdistas dispostas a derrubar o governo de Somoza.

Após a invasão do Palácio Nacional, seguiram-se as manifestações de apoio popular ao ato.  Pouco tempo depois os empresários anunciam uma greve geral, tendo em vista a queda pacífica de Somoza para afastar a possibilidade dos sandinistas tomarem o poder. Também Carter tenta uma solução diplomática para a crise para evitar as possíveis radicalidades do movimento guerrilheiro. A FSLN enfatiza sua posição contrária a qualquer “somozismo sem Somoza”  repelindo assim a mediação dos Estados Unidos. Membros da Organização dos Estados Americanos (OEA) compõem então uma comissão mediadora que mantêm proposta similar a dos Estados Unidos. Como o problema não se resolve, o presidente norte-americano sugere uma intervenção na Nicarágua, mas a OEA rechaça essa possibilidade.

A Frente Sandinista rompe então com a FAO já que nela os empresários tinham hegemonia e a eles interessaria a solução da Comissão Mediadora. Também o Grupo dos Doze se desvincula desta organização. O Movimento Povo Unido (MPU), formado por partidos de esquerda, comitês de bairro, comitês de greve, associações de mulheres, organizações sindicais, comitês proletários etc. vem então substituir o papel que a FAO representava na luta política, e a burguesia anti-somozista fica isolada. Em seguida o México rompe as relações diplomáticas com o governo nicaraguense e é acompanhado por outros países da América do Sul.

Em março de 1979 finalmente se unificam as três tendências da Frente Sandinista e começa a ofensiva final para derrubar o governo já bastante debilitado pela crise política, econômica e a falta de respaldo internacional. Sublevações populares ocorrem nas principais cidades do país. Muitas das 33 manifestações ocorridas levavam as bandeiras da FSLN mesmo que nenhum militante da Frente estivesse envolvido nelas. Há, portanto, uma identificação de jovens, camponeses, operários com o movimento. Três frentes de guerra aberta são conduzidas pela Frente Sandinista.

Em junho de 1979 começam os combates em Manágua, principalmente nos bairros pobres da região leste: Os bombardeios e ataques de Somoza com foguetes miravam sempre os bairros mais pobres. Em algumas cidades e vilas menores os bairros não eram claramente definidos, mas em Manágua comunidades operárias inteiras foram destruídas, enquanto as áreas da classe média permaneceram intactas. Somoza ordenou que sua Força Aérea “atacasse tudo que estava em movimento”, no lado leste de Manágua, recorrendo a bombas, foguetes e até mesmo tambores de gasolina atirados dos aviões.

 No final de junho,  a Frente Interna da FSLN liderou uma retirada organizada de seis pessoas da capital, encaminhando-as para Masaya, uma cidade a 32 quilômetros de distância. As insurreições urbanas eram claramente oriundas da classe operária. Um levantamento sobre cerca de seis mil combatentes sandinistas mortos na insurreição mostrou que 54% eram trabalhadores de todos os tipos, e outros 29%, estudantes secundaristas e universitários, muitos procedentes de famílias de trabalhadores. Mais da metade eram filhos de pais não casados, o que na Nicarágua significa famílias pobres, não pertencentes à burguesia. A grande parte dos seis mil mártires sandinistas não era membro da FSLN que, mesmo conhecendo um rápido crescimento entre 1978 e 1979, ainda tinha menos de dois mil filiados à época de sua vitória.

O ano de 1979 foi decisivo para a tomada do poder pela FSLN, momento que os guerrilheiros obtiveram várias vitórias frente a Guarda Nacional do ditador Somoza. Esses acontecimentos levaram o ditador Anastasio Somoza Debayle a renunciar ao cargo em 17 de julho de 1979 e fugir para Miami, nos Estados Unidos.

No dia 19 de julho de 1979 os guerrilheiros sandinistas entraram marchando em Manágua por causa da vitória frente ao ditador Anastasio Somoza Debayle . No dia seguinte, 20 de julho de 1979, aconteceu uma grande comemoração da população nicaraguense por causa da vitória da revolução.

É formado o Governo Provisório de Reconstrução Nacional – composto por Sérgio Ramirez (Grupo dos Doze), Daniel Ortega (FSLN), Alfonso Robelo (Frente Ampla de Oposição) e Violeta Chamorro . O Governo  publica um texto no qual explicita os princípios de economia mista, pluralismo político e não-alinhamento.

Definido como “compromiso patriótico”, el texto afirma que: “ el objetivo será la instauración de una democracia política, económica y social “efectiva”, es decir, empeñada ante todo en lograr la justicia y el progreso social y basada en la más amplia paticipación de todos los ciudadanos mediante el respecto al sufragio universal. Al cabo de una etapa transitoria de reconstrucción se realizarán elecciones. Se respectará el pluralismo “sin discriminación ideológica” y sólo quedarán excluidos del juego político los partidos y las agrupaciones partidarios del somocismo.

. No entanto, a FSLN tinha uma concepção mais ampla de democracia: Para el Frente Sandinista la democracia no se mide únicamente en el terreno politico y no se reduce solamente a la participación del pueblo en las elecciones…Democracia significa participación del pueblo en los asuntos políticos, económicos, sociales y culturales. Mientras más tome parte el pueblo en essa materia será más democrático. La democracia se inicia en el orden económico, cuando las desigualdades sociales principian a debilitarse, cuando los trabajadores, los campesinos, mejoran sus niveles de vida. Una vez logrados estos objetivos, de inmediato extiende a outros terrenos: se amplía al campo del gobierno; cuando el pueblo influye sobre su gobierno, cuando el pueblo determina a su gobierno, le guste a quien le guste.  en una fase más avanzada, democracia significa participación de los trabajadores en la dirección de las fábricas, haciendas, cooperativas y centros culturales. En síntesis, democracia es intervensión de las masas en todos los aspectos de la vida social.

Videos de combates e da  Vitória dos Sandinistas:

 https://www.youtube.com/watch?v=v2VwdC27ls4  

https://www.youtube.com/watch?v=tP4zpKRHIRA

https://www.youtube.com/watch?v=FY2ujYxiUMg

https://youtu.be/gNUJblsBseQ          La Insurrecion Longa – Metragem

Algum tempo depois, tendo seu pedido de asilo rejeitado pelo presidente Jimmy Carter dos EUA,  Somoza estabeleceu-se  no Paraguai ao abrigo da ditadura de Alfredo Stroessner. No dia 17 de setembro de 1980 o ex-ditador da Nicarágua foi morto na sua Mercedes Benz branca em Assunção no Paraguai com o ataque de intenso tiroteio pelos guerrilheiros do Exército Revolucionário do Povo.

Referências Bibliográficas

De Sá , Roger dos Anjos A Revolução Sandinista: Do Triunfo À Derrota (1979-1990), UFG, 2014

De Tompa , Bárbara Carolina Medeiros – Os sandinistas e seu ideário de libertação nacional- UFMG, 2011

%d blogueiros gostam disto: